Falando de fornos

Falando de fornos Geralmente conseguimos fazer um trabalho maravilhoso em desenvolver uma receita, mas quando chegamos na parte final podem ocorrer erros, colocando tudo a perder. Esses erros geralmente estão relacionados a temperatura incorreta, ou passou do tempo, e outros.
O forno é como uma criança que você não pode deixar sozinho, porque pode te surpreender.
Cada receita é um determinado tempo para sua finalização e tem seu cuidado específico.
Hoje existem vários estilos de forno e cada um é específico para determinado tipo de produto, e ser um amante do forno é certeza que não ocorrerão erros em sua produção.
antigamente as massas eram assadas sobre pedras quentes, e essa evolução veio com o crescimento da industrialização do produto artesanal, cada vez mais o mercado exigia a profissionalização dos então artesãos.
A Panificação com a crescente procura ouve a necessidade de usar a tecnologia ao seu favor, foram criados vários tipos de forno pra atender melhor as suas necessidades e seu mercado, sempre visando melhorar a qualidade e o lucro.
O mercado mudou muito, onde aquilo feito antes em ritmo artesanal agora a alta quantidade de produção que o mercado exigi é o profissional industrial. Forno Profissional é muito diferenciado pela alta temperatura, tamanho, e pela quantidade na fabricação.
Em casa nosso forno chamado convencional chega na alta temperatura de 290º C a 300º C dependendo gás ou elétrico, muitos ainda colocam pedras para aumentar a temperatura que pelo meu conhecimento é pouco eficaz mas faz uma diferença .

Noções básicas , e como saber se está na temperatura :

- FORNO BAIXO - Lento ou brando = 160º C
Colocar um papel branco ( tipo sulfite ) dentro do forno aquecido por 5 minutos e ele não muda de cor.

- FORNO MÉDIO - Ou regular = 180º C
Quando o papel após 5 minutos ficar amarelo

- FORNO ALTO - Ou quente = 200º C
Quando o papel após 5 minutos ficar escuro

- FORNO FORTE - Ou bem quente = 250º C
Se o papel queimar

- FORNO MORTO - Ou arrefecido = Depois de apagado

Nunca esqueça de sempre colocar para assar após 10 minutos

Alguns fornos conhecidos, bastante utilizados:

FORNO A LENHA
Nesse forno a madeira em combustão exala vapores aromáticos que se impregnam no produto, em outras palavras, um produto defumado levemente.
Existe alta temperatura constante de 550º C . Assa rapidamente e a massa fica crocante por fora e macia por dentro . No entanto, é possível reproduzir ou até superar essa temperatura com equipamentos profissionais. "Ha fornos elétricos ou a gás que atingem temperaturas elevadas ". Mas o que importa é o que sai na fumaça, dando um toque diferente em seu gosto premiando o produto.
No Brasil, o que mais se usa é eucalipto de reflorestamento, enquanto na Itália o normal é aproveitar galhos de carvalho que caem das árvores.
Fazer produtos nesse forno é sentir o gosto do passado de antigas gerações, é um forno de muitas tradições e muito amado.

FORNO TURBO
Nesse forno existe uma circulação de ar interna que envolve todos os pães ou produtos a uma velocidade de até 1.460 rpm dentro da câmara
As ventoinhas dentro da câmara é o diferencial, e seu vapor. O forno é bom para qualquer produto de padaria e confeitaria, embora sua eficácia ainda encontra resistência por alguns profissionais.
É desenvolvido para uso em grande escala, e muito fácil de usar.
Um forno para ser bom de produção tem que ter o cozimento por igual.

FORNO DE LASTRO
Essa nomenclatura está relacionada ao efeito de aquecimento de baixo para cima, chamado efeito a lastro.
Este tipo de forno pode ser aquecido a gás, a óleo diesel, eletricidade, carvão ou lenha.
Cada um destes combustíveis tem suas vantagens e desvantagens. Um bom forno de lastro fixo tem que ter controle temperatura.
Na categoria de forno de Lastro fixo, podemos encontrar os seguintes modelos:
- O forno de alvenaria, que é construído totalmente em alvenaria, desde sua estrutura até a câmara de cozimento.
- O forno misto, com alvenaria externamente câmaras de cozimento em chapas de aço carbono.
- O forno metálico, construído inteiramente em chapas de aço carbono, o que facilita sua montagem e desmontagem.
Existem algumas coisas em comum entre estes modelos, os tipos de forno, que são seu sistema de aquecimento e material isolante.
Em todos os casos, com exceção dos elétricos, todos possuem uma fornada com duas "séries" de tubos que tem suas pontas aquecidas e transmitem, levam calor para dentro das câmaras de cozimento, através do fenômeno conhecido como irradiação.

Conhecimento de forno é algo que ajuda o profissional chegar a suas metas, são vários modelos específicos para determinada profissão. O que não podemos esquecer é de seguir suas regras de utilização.






continuar lendo
Comentários 0

Vegetarianos: O que comer no período de transição?

Vegetarianos: O que comer no período de transição? Não é que existam regras neste período, mas há uma preocupação maior com a introdução da nova dieta para que corpo e mente se adaptem bem e de forma saudável, garantindo, também, uma alimentação prazerosa e duradoura com boas opções de cardápio.

Mas, o que é a transição?
Quando optamos por seguir nestes estilos de vida e começamos a praticá-los, existe um período de adaptação do corpo e da mente, certo? Bem, curto ou longo, este período será diferente para cada indivíduo.

Na transição, costuma-se incluir pratos com características semelhantes aos de uma alimentação convencional. É daí que surgem as más interpretações de que vegetarianos e veganos querem “copiar” pratos “carnívoros”.

Isso acontece porque muitos de nós não deixa de comer carnes e derivados por não gostar do sabor, mas por diversos outros fatores morais e éticos. Assim, queremos continuar comendo bem. E porque não, comendo pratos similares mas sem ingredientes de original animal?

Pois bem, mais um ponto que divide opiniões! E na minha, a transição deve sim incluir pratos específicos que podem ou não continuar presentes na dieta de cada um após a adaptação completa.

O que são, então, estes pratos de transição? Separei algumas dicas do que incluir e como prepará-los. Vamos lá!

Fuga do convencional, texturas e temperos

Para não cair no combo massa + queijos em uma dieta ovolactovegetariana ou nas massas + frituras em uma dieta vegetariana estrita, é importante excluir a ideia de que para ser vegetariano você só precisar retirar a carne dos pratos.

Pelo contrário, como já explicamos em outros artigos, é preciso criar um prato inteligente, ou seja, pensar para compo-los de maneira funcional.

Para grelhar, fritar ou selar e assar
Use em lanches, PF’s e refeições do dia a dia:

Abobrinha italiana, Berinjela, Cogumelo Paris, Cogumelo Shitake, Bife de soja, Seitan, Hambúrgueres vegetais.

Para fazer molhos vermelhos
Use para refogados para recheios e molhos vermelhos ou brancos de massas:

Vegetais picados em cubos sem sementes, Cogumelos picados ou triturados, proteína texturizada de soja (PTS).

Este alimentos, quando combinados com os temperos certos, vão garantir textura e sabor similares ao que costumávamos comer.

Para temperar:
Nos temperos, vinagre e limão entram para marinar junto com alho, cebola ralada, temperos secos e ervas, mas para finalizar no preparo é você quem vai refinar e acertar o ponto de sabor ideal.

Alho, Cebola, Shoyo, Vinagre Balsâmico, Óleo de gergelim, Cominho, Páprica picante, Fumaça líquida, Ervas e ervas defumadas, Sal grosso, Curry, Mix de pimentas como a pimenta síria.

Para fazer leites e queijos vegetais
Cada leite e cada queijo vegetal terá um preparo diferente de acordo com a base escolhida. Na transição, os preparos que mais se assemelham aos convencionais são a base de: soja, amêndoas e amendoins, tubérculos como a mandioquinha salsa e o inhame. Acompanhe as receitas Koop para ter acesso aos preparos detalhados.

Lembre-se: Estes combos de ingredientes + temperos devem ser combinados. São sugestões que você pode testar e descobrir do que gosta mais.

Vinculei a este artigo uma receita de esfiha de PTS ideal para períodos de transição. aproveite!

E como saber que o período de transição acabou?
A adaptação se dá quando você deixa de buscar os pratos de transição para suprir a necessidade de comer carne e passa a prepará-los simplesmente por gostar do sabor que eles têm. A necessidade de substituição dá lugar a curiosidade e ao interesse pelos novos sabores e opções que a cozinha vegetariana oferece
continuar lendo
Comentários 0

Leite, vilão ou não?

Leite, vilão ou não? Pessoal, hoje eu estou aqui pra desmistificar algumas coisas sobre o leite. Desde que eu comecei a fazer o mestrado do leite eu virei defensora nata do nosso branquinho, existem algumas perguntas mais frequentes que me fazem e eu vou tentar responder elas aqui no post.
? Eu queria deixar esclarecido aqui que: Eu não vou conseguir responder TUDO em um único post, por isso eu vou abordar as coisas mais importantes e as polêmicas mais absurdas que envolvem o leite;
? Este post está sendo feito com uma base simples: Leitura de artigos e um estudo, digamos que constante, sobre nosso branquinho. Porém como são MUITOS se alguém tiver interesse em ter a fonte é só me falar que eu mando;

Então vamos colocar a lenha na fogueira (porque eu sei que o negócio vai ficar feio!).

1. A coisa mais importante, que eu sempre falo em meus posts, quantidades, nada em exagero faz bem a saúde. 200ml de leite por dia é diferente de 1000ml por dia, com isso em mente vamos em frente.
2. Gente, tirem da cabeça de vocês que o leite UHT é um leite antinutricional. Pra começar não existe leite antinutricional. 98% das gorduras existentes no leite são benéficas a saúde, então tirem da cabeça que pra dieta ser perfeita o leite tem que ser desnatado, não, isso já é um tabu e precisa ser quebrado, não deve se tornar uma regra. (Cada um com sua individualidade).
3. Já ouvi por aí que os M.O. (Microorganismos) não são eliminados por completo durante o processo UHT. Gente, são sim! Todos os M.O. que podem fazer mal a saúde são eliminados durante o processo, podem ficar bem tranquilos. "A Giovana, mas eu já abri a caixa do leite e tinha uma 'gelatina' no fundo da caixa, o que me diz sobre isso em?". Isso são os psicrotróficos, normalmente são resultantes de uma e higienização errada durante a ordenha da vaca, SÓ! Não fazem mal a saúde é uma característica que atrapalha na área sensorial do leite, não tome quando isso acontecer, mas não significa que isso acontece sempre e também não façam textão no Facebook detonando o leite por conta disso. Tirem isso da cabeça.
4. EXISTEM CONSERVANTES/ADITIVOS/FORMOL NO LEITE. Gente isso é papo de pessoa desinformada. Não estou dizendo que não existem indústrias anti-éticas, mas não é regra. Nossa querida Polly (que fica aqui em Londrina) e é da Cativa, é muito ética em seu trabalho com a manipulação do leite. Seguem a legislação vigente (sugiro que a leiam antes de sair falando por aí). A única coisa que a legislação permite é um ESTABILIZADOR que normalmente é um fosfato a única coisa que ele faz é estabilizar as proteínas do leite (Caseína, prazer), impedindo que elas sofram coagulação.
5. Me perguntam qual é o melhor leite para tomar? UHT ou saquinho. O de saquinho, porém a durabilidade dele é bem menor, mas, você não vai morrer se tomar o de caixinha, vai por mim.
6. Com exceção das pessoas que possuem alguma patologia como Alergia ao leite e intolerância a lactose, NÃO existe nenhum estudo que comprove a ligação direta do leite em problemas com a obesidade, diabetes e etc... Muito pelo contrário então, voltamos ao ponto inicial, se for um consumo consciente, seja feliz e não se prive de tomar essa delícia branquinha.
7. "O homem é o único mamífero que toma leite depois que chega a fase adulta". A gente que argumento mais batido vai! ÓBVIO que é o único ele tem capacidade pra arrebanhar, ordenhar, manipular, envasar e tomar o leite. Você dá leite pro seu cachorro? Ele toma não toma? Sabe porque? PORQUE É GOSTOSO! Se ele tivesse a mesma capacidade que nós temos de ordenha ele também faria! Ok?
8. "Eu tirei o leite da minha dieta, emagreci e depois que voltei a tomar me senti inchado, óbvio que ele faz mal!". Não, não é óbvio. O que é óbvio pra mim é o seguinte, você tirou o leite, emagreceu, mas tenho certeza absoluta que mudou outros hábitos também, então não foi o fato isolado do leite que desencadeou seu emagrecimento. Outra coisa óbvia é: CLARO que você vai inchar, passou meses sem tomar leite, seu organismo diminuiu a produção de lactase (enzima que quebra a lactose) quando você ingerir de novo o leite, vai ter gases mesmo, voltou a ingerir lactose do nada, é um corpo estranho.
9. INDIVIDUALIDADE: sobre o último item, se você, não se sente bem tomando leite, procure um médico para entender e saber se existe alguma patologia relacionada e se não houver, procure uma nutricionista para entender o porquê. Se você passa mal, não consegue tomar, não gosta... Uma boa profissional saberá lidar com isso.

? Pessoal, isso era tudo o que eu tinha a dizer, sei que é um texto extenso e acreditem em mim, eu ainda não falei tudo o que precisava falar. Se tiverem alguma dúvida, me chamem inbox, me mandem e-mail ou passem na clínica para batermos um papo.

?Última coisa, parem de acreditar em blogs, médicos que não são especialistas na área, procurem um profissional adequado pra falar de alimentos (NUTRICIONISTA TA!) continuar lendo
Comentários 1
Jamille R. P. Morais Lopes

👏👏👏👏👏👏👏👏 eu não gosto, mas minha filha de 6 anos toma um copo de leite com café todos os dias!!!


Nove receitas fáceis para quem ama ovos

Nove receitas fáceis para quem ama ovos Quem é que não gosta de comer ovos, ainda mais se for utilizado de maneira bem criativa... porém as vezes é apenas o que temos na geladeira, então ai vai um combo de 9 receitas fáceis para se fazer com ovos que você vai adorar.

Fonte de proteína e com um alto valor biológico, o ovo está presente em todos os tipos de cozinha. Preparar um ovo, seja cozido ou frito, não requer prática e tampouco conhecimentos gastronômicos. As possibilidades do alimento, porém, vão muito além da cozinha.

O colesterol é necessário para o funcionamento adequado do organismo. Grande parte do colesterol que o corpo precisa é produzido pelo fígado, que regula essa produção em função das necessidades de cada indivíduo

Além de nutrientes, o ovo tem substâncias carotenóides, como a luteína e a zeaxantina, que ajudam a prevenir a degeneração ocular, a principal causa de cegueira nos idosos. Outro nutriente de alto valor que está presente na gema de ovo é a colina. Ele é importante no desenvolvimento cerebral do feto e da criança e, também, para a memória. A diferença de cores da casca do ovo (branco e vermelho) depende da raça das galinhas, mas os dois tipos são nutricionalmente equivalentes

As cores e tamanhos diferentes (pequeno, médio, grande, extra e jumbo) são usados para classificar os ovos quando da sua comercialização, interferindo apenas no preço do produto

A clara representa em torno de 50% do peso total do ovo. Ela é rica em água e sua principal proteína é a ovoalbumina. A gema corresponde a cerca de 30% do total e a casca a 12% do conteúdo do ovo. O ovo pode ser o prato principal substituindo outros alimentos que são fontes de proteínas (carnes, peixes, frango e leite)

A recomendação é utilizar os ovos à temperatura ambiente (não gelados) e com as cascas íntegras (sem rachaduras) para então colocá-los na água para cozinhar; isso evitará rachaduras ao longo do preparo O uso de ácido (suco de limão ou vinagre) na água de cocção ajuda na coagulação das proteínas da clara, mas não evita a rachadura da casca do ovo


1. Ovo nuvem ou cloud eggs
ver receita

2. Suflê de ovos com queijo
ver receita

3. Ovos mexidos perfeitos com bacon
ver receita

4. Ovo poché fácil
ver receita

5. Muffins de ovos
ver receita

6. Ovo no pimentão
ver receita

7. Ovos no barquinho de batata assada
ver receita

8. Sanduíche Croque madame
ver receita

9. Ovos em aro de cebola
ver receita

#COMPARTILHE
Veja mais receitas que contém ovos no let's cook continuar lendo
Comentários 2
Bruno Rafael
23Nov2017

cara, deu até agua na boca :p


5 dicas para compor pratos vegetarianos

5 dicas para compor pratos vegetarianos Seja na manutenção ou na transição de uma dieta convencional para uma dieta restrita de certos alimentos, seu corpo pode sentir necessidade de suprir alguns dos nutrientes e vitaminas que antes eram ingeridos. Por isso, não podemos deixar faltar nada do que ele precisa. Pelo contrário, entramos com uma alimentação ainda mais potente, rica e balanceada.

Também se fala muito sobre “substituir” a carne, mas será que ela é tão importante assim? Bem, que alguns de seus nutrientes são importantes, é fato! Logo, você não precisa substituir a carne, mas ter certeza de que estes nutrientes essenciais estarão presentes em sua alimentação (Isso vale pra qualquer um, tá?).

Dito isso, no que devemos pensar pra compor um prato vegetariano saudável e saboroso?

1. Vá para cozinha!

É difícil manter um estilo de vida legal, saudável e gostoso se você só come fora de casa e não se permite conhecer temperos, sabores, combinações e possibilidades que a cozinha oferece.

Na cozinha é possível testar e descobrir o que agrada mais seu paladar e o que você não precisa insistir pra comer, pois, passa a conhecer outros pratos e sabores que funcionam pra você. Agora, se você realmente não consegue e não tem tempo algum pra ir pra cozinha, fique atento à 3ª dica, ela vai te ajudar a montar um prato completo mesmo fora de casa.

2. Descubra as leguminosas

Apesar do nome, as leguminosas são grãos que nascem de vagens ricas em tecidos fibrosos. O feijão, por exemplo, é a leguminosa mais consumida no Brasil! E olha que o que consumimos no dia a dia são três ou quatro tipos do grão, que tem diversas outras variedades.

Na dieta vegetariana, as leguminosas são fundamentais para alcançar os níveis necessários de ferro e proteína diários. Por isso, abuse dessas variedades:
Feijões de todos os tipos (do branco ao vermelho); grão de bico; ervilha; lentilha (Que tal experimentar a rosa?); soja; tremoço; amendoim, etc.

Você encontra as leguminosas de forma geral como grão ou farinha, em mercados, feiras e lojas de produtos naturais. Também as encontramos enlatadas, mas geralmente vêm acompanhadas de bastante sódio e são processadas de forma a perder alguns de seus nutrientes.

Prefira comprá-las em sua forma natural e capriche na hidratação dos grãos. Para as leguminosas que serão cozidas, o recomendado por médicos e especialistas é deixar de molho por de 8h a 12h antes do cozimento.

3. Inclua estes três grupos no seu prato!

Esqueça a carne, pense que um prato balanceado e completo deve ser composto com o intuito de suprir as vitaminas que seu corpo precisa e isso será possível incluindo estes três grupos: 1º verduras e legumes; 2º leguminosas (família dos feijões); 3º cereais.

Ao montar um prato, você deve dividi-lo em 4 partes:

Duas dessas partes devem ser destinadas ao 1º grupo (verduras, hortaliças e vegetais). Aqui, você pode variar alimentos como: couve, espinafre, repolho, agrião, almeirão, abobrinha, berinjela, beterraba, cenoura, chuchu e muito mais.

Quanto às outras duas partes do prato, utilize uma delas para incluir cereais: arroz, milho, batata, produtos com aveia, trigo, amaranto, quinoa e outros. E a terceira e mais importante parte: Leguminosas.

4. Tire os vegetais da rotina

É comum que a gente sempre encontre os legumes preparados da mesma forma em restaurantes self service ou até quando fazemos em casa: alface apenas como salada; beterraba cozida; abobrinha ou chuchu refogados com cheiro verde, etc. Se nós já gostamos de comer assim, imagina se começarmos a explorar o potencial de transformação e sabor dos vegetais e hortaliças do nosso dia a dia?

Na receita relacionada à este artigo, temos algumas sugestões bem legais pra você começar a provar, ela foi desenvolvida por mim lá na cozinha do Ateliê Vegano, Comida de Gente.

5. Inspire-se por livros e receitas

Eu nunca gostei de seguir receitas à risca, queria apenas criar, inventar e testar. E isso é ótimo! Mas existem profissionais, livros e plataformas como a KoopCook que nos inspiram e tornam nossa rotina mais prática e criativa.

Hoje eu tenho em casa livros de receitas com fotos lindas que me motivam a cozinhar mais, reproduzir, usar medidas e compartilhar essas receitas com outras pessoas que podem ser inspiradas por mim, também. Pode ter certeza que um bom prato a gente começa comendo pelos olhos.

Tem uma sugestão de livros e chefs veganos? Me conta nos comentários! Vou preparar um apanhado de referências e materiais pra compartilharmos esta inspiração pelo cozinhar e partilhar.

Um abraço! continuar lendo
Comentários 1
Bruno Rafael
22Nov2017

Ótimas ideias :)


Conhecendo a melhor fermentação

Conhecendo a  melhor fermentação Procurando melhorar o meu produto resolvi mexer na minha massa. Comecei a investigar o que seriam os pontos positivo e negativo.
Então lembrei da minha aula de panificação, com isso conclui minhas dúvidas e decidi trocar minha fermentação e mudar meu estilo de trabalho. Quero resgatar cada vez mais processos e suas origens dos produtos desejados, valorizando tudo aquilo que está faltando no mercado.
Lembrando da história do pão que é quase tão antiga quanto da nossa civilização. Afinal foi nos primórdios da agricultura, com o início do cultivo de grãos e cereais como o trigo, os homens primitivos deixaram a vida de nômade para começar a se organizar em torno de sociedades mais complexas.
Para entender como melhorar meu produto tive que entender de cada fermento e seus processos.
exemplos:

- Fermentação Física, vapor de água, clara de ovo batido em neve

- Fermentação Química, não é uma levedura natural ela é uma mistura de bicarbonato de sódio com ácido não tóxico e é utilizado para dar textura esponjosa à massa. É mais indicado para bolos, mas existem receitas de pão rápidos que utilizam esse fermento. Pela influência do calor ou umidade produz desprendimento gasoso capaz de expandir a massa, aumentando volume e porosidade.

- Fermentação Biológicos são fermentos industrializados, levedura Saccharomyces cerevisiae em diferentes formas como tabletes, e em grãos ou pó.

BIOLÓGICO FRESCO é uma pasta firme que é composta somente de leveduras condensadas, não tem nenhum emulsificante, é considerado saudável por ser fresco, mas precisa de geladeira e seu tempo de armazenamento é menor 15 dias. Deve ser misturado diretamente na farinha.
BIOLÓGICO SECO é na forma de pó granulado e é obtido através da secagem do fermento. Além das leveduras também contém um emulsificante ( monoestearato de sorbitana). Por ser seco não precisa de geladeira e dura 6 meses, deve ser misturado com a mesma quantidade de açúcar e com água morna. Reserve por 10 ou 15 minutos antes de usar.
Os fermentos instantâneo seco possui a mesma característica, só que não precisa dissolvê-lo na água morna, pode usar direto na farinha e dura 2 anos embalada.

-Fermentação Natural, era utilizado antes da produção industrial e voltou a moda nos últimos anos pela sua qualidade. É a mesma levedura dos fermentos industrializados, mas em estado selvagem combinado com lactobacilos. Você não encontra no supermercado como outros porque ele precisa ser cultivado por dias através de uma mistura de água e farinha.
Um pão com esse fermento leva mais tempo para ser feito, dá aspecto rústico, uma casca mais crocante, um miolo cheio de alvéolos irregulares e um sabor levemente azedo e incomparável
.
Essa foi minha escolha e caso você esteja querendo aventurar nesse mundo, aqui umas vantagens do fermento natural;
Seu sabor é incomparável;
Possui um índice glicêmico mais baixo do que outros pães;
Sua digestão é mais fácil , até mesmo para aqueles que são sensíveis ao glúten, devido a sua fermentação mais lenta;
Pode ser armazenado por mais tempo, pois o ácido acético que inibe o crescimento de bolor é produzido na fabricação do fermento;
Aumenta o teor de bactérias benéficas no intestino;
Possui uma série de nutrientes devido a complexidade de sua composição. continuar lendo
Comentários 1

Vinhos e Verão: uma harmonização igualmente perfeita!

Vinhos e Verão: uma harmonização igualmente perfeita! O calor bate à porta e dai logo pensamos: Qual vinho devo escolher?

Com o calor tendemos a apreciar vinhos mais leves e frescos que harmonizam perfeitamente com os pratos da estaçao.

Devemos abusar dos brancos, rosès e inclusive espumantes, mas também não precisamos deixar os tintos de lado! Um bom sirah de safra , assim como um pinot noir, além de deliciosos caem super bem em dias mais quentes!

Um carmenèere igualmente jovem e não barricado também pode se adequar muito bem ao nosso calor!

Quanto a temperatura recomendo em torno dos 6 graus para os brancos, rosès e espumantes, e para os tintos que citei em torno aos 16.
Enfim, o que realmente importa è que todo dia è dia para apreciar uma boa taça de vinho!

Salute!

continuar lendo
Comentários 1
Lais Contrin
23Nov2017

Legal saber que dá pra harmonizar vinho no verão tbm...


Jantar da Folha de Londrina, uma noite mais que especial!

Jantar da Folha de Londrina, uma noite mais que especial! Semana passada, nós do KoopCook estivemos presentes no jantar da Folha de Londrina, para celebrar o concurso Cozinha & Sabor!
Tive a honra de ser a sommelière da noite, escolhendo os pratos e harmonizando-os com os vinhos. Escolhi para a ocasião a Vinìcula Casa Silva, chilena da região de Colchagua, que nos proporciona vinhos de alta qualidade, gastronômicos e de ótimo custo benefício.

Começamos o jantar , em estilo finger food, com um involtini di zucchini e em seguida um mil folhas de chitaque e salmao defumado, que harmonizei com um chardonnay de safra, da linha Colleción, que nos trouxe frescor e delicadeza neste composé de entrada.

Depois foram servidos um gateau de mandioquinha salsa e camenbert harmonizados com um pinot noir reserva, que nos trouxe muita fruta vermelha mas sobre tudo uma acidez pontual necessària para esse prato.

Seguimos com um risoto de filé ao vinho do porto com alho poró e alçafrao, perfeitamente harmonizados com um carmenére, tambèm da linha Collecciòn. Com um pouco mais de complexidade e estrutura, o prato e o vinho se encontraram em "perfeita amizade"!

Após um delicioso papo e muita animação, terminamos o serviço com uma simples mas não menos deliciosa sobremesa: tortinha de limão com sorvete de creme e calda de laranja, delicadamente harmonizada com uma colheita tardia de uvas Semillon e Gewustraminer que nos fez finalizar o jantar com chave de ouro!

Passamos uma noite mais que agradável, regada a boa companhia, bom papo, bons pratos e bons vinhos!!! Sem duvidas, uma noite memorável, e por isso fiz questão de dividi-lá aqui com todos vocês! Termino desejando mais noites assim para todos nos, e desde já brindo a nossa saúde!

Salute! continuar lendo
Comentários 0

13 Benefícios da Uva Passa

13 Benefícios da Uva Passa As frutas secas se mostram tão nutritivas quanto as demais, e eu sabor, quando aplicado em variadas receitas pode oferecer sabor único e surpreendente. É interessante combinar os dotes culinários com contribuições desses alimentos, pois eles podem ser convenientes para o seu bem estar e boa forma. De olho nessas frutas de texturas diferenciadas, podemos notar que os benefícios da uva passa podem ser convenientes com dietas e reeducações alimentares, por isso, descobrir para que serve e quais as propriedades do alimento é a melhor forma de usufruir plenamente de seus poderes medicinais.

Propriedades da Uva passa

Ela é conhecida como Kishmish na Índia, e seu uso medicinal é justificado por múltiplos benefícios. Ela é um fruto desidratado com concentração de inúmeros nutrientes, dentre eles, vitaminas e minerais importantes para a manutenção da saúde corporal. Ela pode ser incorporada facilmente à dieta, e marca presença não só em receitas doces, como também em combinações exóticas. A uva passa não oferece prejuízo às dietas, pois é utilizada de forma sutil nas receitas, e 100 gramas contêm em média 299 calorias.

Assim como as uvas, a uva passa possui vitaminas de complexo A e B, Cálcio, Cobre, Ferro, Magnésio, Manganês, Potássio, Zinco, e o Resveratrol, sendo este último um importante polifenol que pode agir com ação anti-inflamatória e anti-inflamatória, muito desejada por pessoas que desejam garantir uma melhor qualidade de vida, junto à boa forma. Você ainda pode encontrar antocianinas, além da uva passas não conter glúten, o que agrada àqueles que lidam com intolerância.

1- Efeito laxativo
Inúmeras pessoas que sofrem com a dificuldade para perda de peso lidam com problemas durante a digestão. As fibras são importantes nutrientes que contribuem com o processo digestório, pois favorece o funcionamento intestinal. Com efeito laxativo, um dos benefícios da uva passa é que ela reduz a ocorrência de constipação, além de favorecer a absorção de nutrientes, e também apoiar a eliminação de toxinas e radicais livres, evitando as consequências causadas por tais. A porção de 40g uva passa contém em média 1,5 gramas de fibras, as quais são responsáveis pelo funcionamento regular da flora intestinal. É dito que essa porção equivale à 6% das necessidades diárias ideais para mulheres, enquanto para homens, supre apenas 4% metade da porção de fibras solúveis que contribuem com o controle de glicose e colesterol.

2- Fortalece o sistema imunológico
Um corpo forte é muito importante para reagir positivamente às adversidades externas. Sabendo que uma rotina atribulada é comum para todos, a alimentação é a forma mais segura de garantir proteção. A uva passa possui porção significativa de vitaminas de complexo B, e minerais fundamentais para prevenção de anemia, como o Ferro. Ela ainda conta com um estimulante natural para a produção contínua de células vermelhas, o Cobre que ajuda a garantir a boa composição sanguínea. A arginina contida na uva passas também pode agir no fortalecimento do corpo, evitando fraquezas e mal estar.

3- Ação contra infecções
Os fitonutrientes pofenólicos marcam presença entre os responsáveis pelos benefícios da a passa, pois podem agir como anti-inflamatório. Esses efeitos podem ser convenientes para reduzir a possibilidade de febres e ação de bactérias.

4- Estímulo sexual
Muitos suplementos são apontados como prejudiciais para a saúde, quando o assunto é vida sexual. Para evitar fraqueza sexual, é importante que a suplementação seja obtida a partir de alimentos naturais, como a uva passa, que contém arginina, que é um aminoácido importante para o aumento de libido. O consumo regular é recomendo principalmente para homens que sofrem com disfunção erétil, benefício muito visado na cultura indiana.

5- Ajuda a prevenção do câncer
Os casos de Câncer têm se tornado cada vez mais comuns, o que nos exige maior atenção com os meios de prevenção. A uva passa contém antioxidantes que podem contribuir para proteger o corpo contra a ação de radicais livres e demais agentes que contribuem com o surgimento de tumores na mama, prostata, fígado, entre outros.

6- Cabelos hidratados e com brilho
Se você deseja manter os cabelos hidratados e com brilho, a uva passa pode auxiliar também para reduzir a queda dos fios. Elas são ricas em Ferro, mineral importante para o fortalecimento do organismo de um modo geral. Ele pode fortalecer o couro cabeludo, e ao agir sobre os folícos, possibilita a prevenção da queda dos fios. O fruto seco também contém vitamina C, que é nutriente contribuinte para uma melhor absorção de Ferro.

7- Proteção contra doenças cardiovasculares
Para proteger a saúde do coração e todo sistema cardiovascular, combinar alimentos nutritivos é fundamental para impulsionar os benefícios da uva passa. O fruto é fonte de ;;Potássio, mineral indicado para o controle de Sódio sobre o organismo. É importante ressaltarmos que o Sódio pode contribuir com a retenção de líquidos e principalmente, com o aumento da pressao arterial, o que pode resultar em diversos efeitos negativos. O consumo regular de uva passa pode ser uma excelente contribuição para a prevenção de hipertensão, acidente cerebral vascular, entre outras condições que inferem sobre a saúde do coração.

8- Saúde bucal na gravidez

A uva passa pode ser conveniente para a saúde das mulheres grávidas. É dito que o pequeno fruto pode ajudar na preservação do hálito, pois contém ácido oleanólico, funcional para a prevenção de diversos problemas bucais.

9- Efeito energético
As uvas passas podem oferecer pequena contribuição de energia, pois ela pode fornecer frutose, o que aumenta o nível energético, além de favorecer a absorção de minerais e vitaminas importantes para a saúde. Dispondo de mais energia, poderá ser notado o aumento do rendimento físico, tanto nos exercícios, quanto em atividades do cotidiano, beneficiando também trabalho e estudo. É importante ressaltar que diabéticos devem manter controle sobre as porções ingeridas. A porção de uva passa pode conter em média 34 gramas de carboidratos e 26 gramas de açúcares, os quais podem se transformar em energia rapidamente.

10- Dentes e ossos fortes
O Cálcio e o Ferro são fundamentais para a saúde e resistência dos ossos e dentes, o que preserva a estrutura corporal e articulações. A uva passa pode fornecer esses minerais, e ainda contém Boro, que auxilia na composição óssea, garantindo saúde, e evitando o desgaste. Pode-se dizer que, se aliado com uma alimentação completa em nutrientes, o fruto pode ajudar na prevenção de osteoporose.

11- Músculos
Se você está focado na preservação e crescimento de músculos, é importante saber que a uva passa possui Potássio, mineral funcional para a melhor contração dos músculos e sistema nervoso. Junto à porção saudável de Sódio, o fruto pode apoiar na saúde dos músculos, otimizando o processo de hipertrofia, já que também pode interferir na retenção de líquidos, deixando o volume muscular em maior evidência. A uva passa possibilita que sejam mantidos os níveis energéticos enquanto você está em repouso, por isso, ela garantirá que o metabolismo se mantenha em funcionamento, mesmo após as atividades. Os músculos também podem ser beneficiados com a maior capacidade de absorção de oxigênio, agindo contra radicais livres e evitando danos oxidativos.

12- Controle de peso
As calorias de uma porção de uva passa podem ser intimidadoras, mas não pense que você deve se manter sempre longe do fruto. Se você consumir porções moderadas, é possível degustar o sabor o fruto, e sua dieta será menos sacrificante, o que não será desestimulante, aumentando a possibilidade de resultados efetivos. Qualquer alimentação hipercalórica pode gerar ganho e peso, por isso, a uva passa não pode ser reconhecida como responsável pelo aumento de medidas, por isso, apenas tente sempre queimar um numero superior que as calorias consumidas diariamente. Em uma dieta, é importante que priorizemos uma fonte natural de açúcar, e a uva passa é uma, a qual pode ter esse açúcar transformado em energia para as atividades físicas. O fruto pode ser um excelente aliado para o ganho de peso, mas e consumido de forma moderada, pode ajudar no controle de taxar hormonais, e ainda garantir saciedade, o que induz ao menor consumo de calorias.

13- Olhos saudáveis
A uva passa pode ajudar você a melhorar a saúde de seus olhos. Fornecendo vitaminas de complexo A, se inserida moderadamente à alimentação, pode-se contar com uma ajudinha contra a ação de radicais livres, os quais podem induzir à possibilidade de ocorrência de Catarata, à redução da qualidade da visão, e à degeneração macular.



continuar lendo
Comentários 0

Mandioquinha, batata baroa ou batata salsa?

Mandioquinha, batata baroa ou batata salsa? Olá koopers, como vocês a chamam, é mandioquinha, batata baroa ou batata salsa? Quem nunca teve essa dúvida, não é?

Em uma reunião em 1984, os profissionais da área agrícola chegaram à conclusão de que seria mais adequado padronizar a identificação de uma planta que tem nomes diferentes em várias partes do país. Desde então, a mandioquinha-salsa (Arracaciaxanthorrhiza Bancroft) passou a ser assim designada, pelo menos em publicações técnicas e em artigos científicos.

Em feiras, mercearias e outros canais do varejo alimentício, contudo, a hortaliça continuou a ser chamada como sempre foi regionalmente. Enquanto em São Paulo e ao sul do Estado mineiro ela é conhecida como mandioquinha, no Rio de Janeiro e na Zona da Mata de Minas Gerais, Espírito Santo e Distrito Federal é baroa ou batata-baroa. No Paraná e em Santa Catarina, é batata-salsa. Ainda em diversas cidades de Minas pode ser reconhecida como batata-fiuza, batata-aipo, batata-jujuba e cenoura-amarela.

Os muitos nomes regionais, no entanto, correspondem a uma única espécie, cuja origem é atribuída à área andina formada por terras pertencentes à Colômbia, Venezuela, Equador, Peru e Bolívia. A introdução aqui ocorreu por meio de mudas que vieram da Colômbia, cultivadas inicialmente na região serrana do Rio, a partir de 1907. Em seguida, o plantio espalhou-se para os estados do Centro-Sul, concentrando maior volume em locais de altitude elevada e de clima ameno em Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina, Espírito Santo e São Paulo.

Pela boa aceitação do consumidor brasileiro, alto valor de mercado e baixo custo de produção, a mandioquinha-salsa é uma ótima alternativa para pequenos e médios produtores, em especial para os que estão envolvidos com a agricultura familiar, dada a necessidade de mão de obra para a atividade. O preparo das mudas da hortaliça, o plantio e a colheita das raízes exigem cuidados e capricho no manuseio.

Tradicionalmente, a mandioquinha-salsa é cultivada nas regiões sul e sudeste do país, sobretudo em áreas com altitude superior a 800 metros e temperatura média anual entre 15 ºC e 18 ºC. Há plantio da hortaliça na Zona da Mata mineira e em baixadas litorâneas de Santa Catarina, além de avançar pelo Planalto Central, no Distrito Federal e em Goiás, onde a temperatura média anual supera os 20 ºC.

Da família Apiaceae, a mesma da cenoura, salsa, coentro, aipo, entre outras, a mandioquinha-salsa é uma planta perene, mas tem colheita realizada no fim do primeiro ciclo de cultivo. A parte comestível é composta de seis ou mais raízes tuberosas, que podem ser alongadas, cilíndricas ou cônicas, com até 20 centímetros de comprimento. A coloração vai do branco ao amarelo-intenso. continuar lendo
Comentários 5
Lu Gonçalves
16Nov2017

Conheço desde criança na minha região de Minas como Mandioquinha Salsa . E chamo assim até hj .

Sueli Aoki
16Nov2017

Adorei as informações! Mas o nome científico é difícil de pronunciar! Rsrs


OK formulario enviado com sucesso!
OK receita favoritada!