História do Sorvete

História do Sorvete A história começa com os chineses, que misturavam neve com frutas fazendo uma espécie de sorvete. Esta técnica foi passada aos árabes, que logo começaram a fazer caldas geladas chamadas de sharbet, e que mais tarde se transformaram nos famosos sorvetes franceses sem leite, os sorbets.

Nos banquetes de Alexandre, o Grande, na Grécia, e nas famosas festas gastronômicas do imperador Nero, em Roma, os convidados já degustavam frutas e saladas geladas com neve. O Imperador mandava seus escravos buscarem neve nas montanhas para misturar com mel, polpa ou suco de frutas.
O gelo era estocado em profundos poços construídos pelo povo.

Porém, a grande revolução no mundo dos sorvetes aconteceu com Marco Polo, que trouxe do Oriente para a Itália, em 1292, o segredo do preparo de sorvetes usando técnicas especiais. Assim a moda dos sorvetes espalhou-se por toda a Itália, e quando Catarina de Medici casou-se na França com o futuro Henrique II, entre as novidades trazidas da Itália para o banquete de casamento, estavam as deliciosas sobremesas geladas, as quais, encantaram toda a corte.

Mas o grande público francês só teve acesso a estas especialidades um século depois quando Francesco Procópio abriu um café, em Paris, que servia bebidas geladas e sorvete tipo sorbet.

Os sorvetes se espalharam por toda a Europa e logo chegaram também aos Estados Unidos. A primeira produção de sorvete em escala industrial ocorreu nos Estados Unidos, há 40 anos. Hoje, no mundo todo, quem mais fabrica sorvete são os norte-americanos.
No Brasil, o sorvete ficou conhecido em 1834, quando dois comerciantes cariocas compraram 217 toneladas de gelo, vindas em um navio norte-americano, e começaram a fabricar sorvetes com frutas brasileiras. Na época, não havia como conservar o sorvete gelado e, por isso, tinha que ser tomado logo após o seu preparo. continuar lendo
Comentários 0

Conheça os 9 países que mais praticam o veganismo atualmente

Conheça os 9 países que mais praticam o veganismo atualmente O mundo está se "veganizando", sabia? Pois é, a ideologia que estimula a preservação de todos os animais, principalmente em nosso uso alimentar, cresce cada dia mais pelos quatro cantos do planeta. Tanto que, de acordo com um artigo recente, publicado no site "Mercy for Animals" , o portal ranqueou os 9 países que mais ganham adeptos e praticantes do veganismo atualmente.

O veganismo é uma ideologia motivada muito além da alimentação. Contudo, não podemos negar, que muitos adeptos iniciam a causa motivados pelo consumo, sobretudo de carne animal, mostrando que é possível manter uma estilo de vida equilibrado e nutricionalmente substancioso preservando as espécies. O fato é que o interesse no veganismo estabelece a mais diferente razões que contribuem para este desenvolvimento, incluindo a compaixão para com os animais, o impacto ambiental e, claro, as preocupações com a própria saúde.

"Vejo o veganismo crescer a cada dia pelo aumento da procura por atendimento no consultório de nutrição. As pessoas estão muito preocupadas com a vida dos animais e também com o meio ambiente e por isso vão ate o consultório de nutrição para aliar seu estilo de vida com uma boa nutrição. A velocidade em que estabelecimentos veganos inauguram e a rapidez em que a indústria de alimentos industrializados cria opções veganas para os supermercados indicam que o veganismo está em expansão e quem ignorar perderá uma boa oportunidade de aproveitar este mercado", destaca a nutricionista Jéssica Stein, da Clínica Nutrissoma Porto Alegre, especialista em atendimento clínico e alimentação vegetariana.

Veja os países onde mais crescem o veganismo no mundo

Espanha Apesar da reputação de grandes consumidores de carne, os espanhóis começam a se adaptar às novas formas de alimentação. Um artigo publicado no "The Guardian" destacou a crescente população de vegetarianos e veganos no país. "Nos últimos anos, como o número de restaurantes veganos e vegetarianos duplicando na Espanha, há sinais de mudança. "A ideia de que devemos pelo menos comer menos carne, é cada vez mais comum na Espanha, como em muitas outras partes da Europa", destaca a publicação.

Reino Unido Pesquisas apontam que um a cada oito adultos britânicos segue as diretrizes vegetarianas ou veganas. Enquanto 12 % do total da população decidiram abandonar a carne, esse percentual sobe para 20% para as pessoas entre as idades de 16 e 24.

Suécia Cerca de 10% do país se identificam como vegetarianos ou veganos. De acordo com pesquisas da "Animal Rights Suécia", nos últimos cinco anos, o número de vegetarianos aumentou 4% no país.

Israel Em relação à quantidade de per capita, Israel pode ser considerada a "capital vegana do mundo". Um artigo publicado pela "JSpace Notícias" mostra a crescente população de veganos no país, estimando-se cerca de 300.000 pessoas, 4% da população total.

Índia Em 2013, a cidade indiana Palitana tornou-se a primeira cidade vegetariana no mundo, onde é proibido o abate de animais, assim como a venda de carne e ovos.

Alemanha Possui cerca de 7 milhões de vegetarianos e vem experimentando uma demanda crescente por produtos à base de plantas. No país existe uma cadeia de supermercados vegano – "Veganz", que tem como meta a abertura de 60 lojas até 2020, devido à demanda popular.

Canadá Os resultados de uma pesquisa de consumo de alimentos canadense refletem uma queda de quase 10% do consumo de carne desde 2001.

Estados Unidos Pode acreditar! O país do hambúrguer também se adequou ao veganismo! Nos EUA, os investidores privados estão investindo milhões em star-ups de alimentação vegana, A empresa global de pesquisa de mercado "Mintel" recentemente descobriu que 36% dos americanos compram alternativas à carne- como o abacate.

Nova Zelândia O número de veganos na Nova Zelândia também cresce rapidamente, e de acordo com um recente artigo no "New Zealand Herald", o aumento é alimentado por uma motivação para ajudar a prevenir doenças, degradação ambiental e sofrimento dos animais em fazendas industriais.

E o veganismo no Brasil? Está em qual lugar?

Ainda não há dados concretos e oficiais sobre o número de veganos no Brasil, contudo, uma pesquisa IBOPE, realizada em de outubro de 2012, revelou que 8% da população brasileira se declara vegetariana (mais detalhes em vista-se.com.br/ibope). Em número de restaurantes vegetarianos, a cidade de São Paulo é a que mais possui opções, abrigando mais de 60 opções.

"O que impede o veganismo de crescer ainda mais é o despreparo de muitos profissionais da saúde em orientar pessoas veganas. Muitas pessoas querem mudar, mas tem receio que a saúde não fique em bom estado. Já sabemos que a alimentação vegana é segura para todas as fases da vida, portanto, quem deseja deixar a carne de lado deve procurar profissionais que entendam do assunto", ressalta a Dra. Jéssica Stein. continuar lendo
Comentários 0

O Vinho Rosé

O Vinho Rosé Os vinhos rosés são incríveis! Além de deliciosos e lindos são super faceis de Harmonizar!

Peixes, saladas,legumes,carnes brancas e até vermelhas se encontram em perfeita sintonia com um bom vinho rosè.

Ah! queijos de mofo branco também!! Tradicionalmente da Provence, França, mas produzido em todo mundo, suas diferentes nuances, paladar delicado e elegante nos fazem uma ótima companhia em qualquer ocasião! continuar lendo
Comentários 2

OK formulario enviado com sucesso!
OK receita favoritada!