Stella Mariano agora é sommelier da Bueno Wines

Stella Mariano agora é sommelier da Bueno Wines Salute! A sommelier Stella Mariano está de casa nova. Faz quase um mês já, mas a profissional, que já passou pela adega do Super Muffato e pela Século Adega, agora é contratada pela Bueno Wines, a empresa de vinhos do Galvão Bueno.

E tem uma missão muuuuito difícil: fazer com que as pessoas conheçam e se apaixonem pelos vinhos produzidos nas vinícolas da empresa, sejam no Brasil ou na Itália. “Produzimos vinhos maravilhosos, seja no Brasil como na Itália, e dar voz a eles é uma hora e alegria sem fim!”, exclama.

Stella promove degustações, realiza palestras e disponibiliza os produtos nos estabelecimentos. Vida longa! As fotos são de Natália Guimarães, numa recente degustação que ela realizou. Com Galvão Bueno, o registro é do arquivo pessoal. continuar lendo
Comentários 0

Família economiza quinhentos reais todo mês no mercado

Família economiza quinhentos reais todo mês no mercado Todos sabemos que ir com fome ao supermercado nos faz comprar ou consumir muito mais que o necessário, isso acontece com muito mais frequência que imaginamos.

O aplicativo Kozinhar lançado em 2018, e tem ajudado muitas famílias a economizar dinheiro todos os meses na compra do supermercado. Mas como? Simples! Utilizando o "Combinar" uma ferramenta do aplicativo, as pessoas podem combinar os ingredientes em promoção para encontrar receitas contendo todos os ingredientes buscados ao mesmo tempo, evitando desperdício.

Além disso mesmo em casa antes de irem as comprar o combinar evita o desperdício e surpreender mostrando receitas que aproveitam tudo que já existe em casa para cozinhar.

Com tudo isso estamos combatendo a fome, uma vez que os alimentos que desperdiçamos gera um consumo maior, este consumo em exagero faz com que o preço dos grãos, base de toda nossa alimentação suba no brasil e no mundo, refletindo no poder de comprar de famílias muito pobres nos demais países.

Baixe agora o Kozinhar na Googleplay ou applestore e faça parte também parte desta corrente. continuar lendo
Comentários 1
Rodolfo Brandão

Além da economia, e vejo que KOZINHAR garante a segurança alimentar. Comer bem, na quantidade e na qualidade certa.


9 inspirações gastronômicas no instagram

9 inspirações gastronômicas no instagram Você já reparou em quantas fotos e vídeos de comidas e receitas aparecem no seu feed de notícias? No facebook ou no instagram, os pratos e seus preparos têm marcado presença.

Nosso feed vive tão cheio de informações, pessoas, produtos e notícias, que as vezes deixamos passar muita coisa despercebida.

Instagram
Em termos de gastronomia, o instagram tem se tornado a rede preferida dos amantes da cozinha e de boas experiências.
Seja para comer, para aprender, conhecer lugares novos ou só para admirar uma bela apresentação, este público tem feito as marcas apostarem mais na rede de imagens e vídeos como principal mídia.

Gastronomia x Marketing
Com isso, mais profissionais da área têm surgido para dar conta do mercado: Food stylists, que cuidam de todo o visual da fotografia gastronômica para dar água na boca (Ah, o nome dessa técnica/ conceito é apetit appeal); Fotógrafos de comida; Estrategistas de marcas gastronômicas; Entre tantas outras áreas que vêm ganhando espaço dentro da gastronomia e da publicidade.
Mas não pense que só os profissionais têm espaço nesse meio. Os perfis pessoais têm produzido conteúdo tão interessante ao público quanto os destes profissionais. São muitas inspirações.

E no veganismo?

No veganismo não é diferente! Muitos perfis vegans são fonte de inspiração não só de gastronomia, mas também em estilo de vida, saúde e mais.

Confira uma lista com 9 inspirações que você encontra no instagram e vão fazer seu dia mais colorido, alegre e motivado:

1. @theveggievoice

Alana Rox é vegana e uma grande inspiração pra quem busca um estilo de vida saudável e prático. A autora e apresentadora compartilha fotos e vídeos com receitas de preparos do dia a dia de um modo fácil de entender e reproduzir!

O mais interessante é que a Alana dá dicas de lugares e marcas veganas em vários cantos do Brasil, incluindo não só restaurantes e opções para comer, mas também cosméticos, sapatos, etc.

Se você procura inspiração pra começar na dieta vegana, esse é um perfil que vai contribuir bastante no momento de transição.

2. @luisamoraleida

Outra grande motivação pra quem está entrando no mundo vegano é o perfil a Luísa. Ela faz questão de mostrar nos posts e stories o quanto pode ser fácil, barato e simples viver o veganismo.

No perfil dela você vai encontrar não só receitas plant based, como também, dicas do que comer na praia, na rua ou em qualquer lugar que você esteja.
Algo do que os seguidores da jornalista nunca vão esquecer é de se hidratar! Ela faz questão de lembrar da importância de beber água com seu bom humor que já é uma marca registrada.

3. @neiderigo

A Neide não é vegana, mas é uma cozinheira de mão cheia com um carinho pela comida que toca qualquer um. O que chama a atenção em seu perfil é o cuidado que ela tem com tudo que faz e a forma simples como leva a vida e enxerga as pequenas coisas.

Aliás, a simplicidade com que fala e compartilha receitas e técnicas nos ajuda não só a olharmos os pratos convencionais de uma nova perspectiva como nos apresenta a ingredientes que nem sonhávamos existir.

A nutricionista tem um banco de informações e receitas maravilhosas no blog Come-se (www.come-se.blogspot.com) e compartilha seu cotidiano na cozinha com fotos que enchem os olhos. É uma ótima pedida pra quem quer mergulhar no mundo da fermentação natural, kombuchas, e PANCS (Plantas Alimentícias Não Convencionais).

4. @belagil

Ainda na pegada plant based, outra não vegana que inspira é a Bela Gil. Pode parecer clichê falar da Bela, mas a apresentadora tem tanto conteúdo interessante pra compartilhar que a gente não se cansa de aprender, testar e descobrir coisas novas com ela.

No perfil da Bela você encontra receitinhas e dicas maravilhosas com ingredientes que você pode nem conhecer, mas já passa a amar. É tudo muito versátil e as substituições pelas quais a cozinheira ficou conhecida por fazer vão te surpreender de verdade.

5. @presuntovegetariano

Este é um dos primeiros canais de conteúdo vegano do Brasil. A Paula sempre fez questão de ensinar seus seguidores de uma forma que só ela consegue: Com muita paciência, detalhes e motivação. Isso porque desde a forma como ela fala, até o modo com que escreve as receitas é transmitido com muito carinho e informação (Pra não ter erro mesmo!)
Hoje não só o canal no youtube é referência, como o instagram já ganhou muito espaço entre os seguidores. A Paula já fez parcerias com o Tastemade Brasil e outros canais, o que gerou mais visibilidade e amor pelo Presunto Vegetariano.

É uma boa pedida para preparos com ingredientes mais acessíveis e baratos!


6. @veggui

Assim como o presunto vegetariano, o canal e perfil do Guilherme Lima (de Londrina) compartilha receitas e dicas de pratos acessíveis e práticos.

As releituras de pratos tradicionais são o forte do perfil e a descontração com que o Gui explica e fala das receitas vão te encantar logo de primeira.
Ah! As fotos são de dar água na boca!

7. @pratodepapel
O Prato de Papel é um projeto da chef Rita Taraborelli, que é vegetariana, ilustradora, cozinheira e autora dos livros: Comidinhas Vegetarianas; Amaranto, Quinoua e Chia e Paz amor e Granola.
A Rita mostra que dá pra ser muitas coisas nessa vida e inspira com seus pratos vegetarianos, coloridos, cheios de vida e de saúde.

É uma ótima sugestão pra quem procura diversificar alimentos do dia a dia com preparos que fogem do básico. No blog da chef você encontra receitas mais detalhadas e ainda enche os olhos com as ilustrações que ela faz.

9. @laurafruitfairy


Partindo para fora do Brasil, o perfil da Alemã Laura ficou conhecido pelas apresentações coloridas, divertidas e inspiradoras a base de frutas.

As receitas são simples: De panquecas à frutas, com destaque para os bows - tudo servido de maneiras que você nunca imaginou-. O diferencial mesmo é a forma como Laura consegue alegrar seus seguidores só de olhar para seus pratos.

9. @hotforfood

As inspirações nacionais são muitas, mas uma página que você não pode deixar de seguir é a do blog Hot For Food. É que as receitas desenvolvidas e compartilhadas pela Lauren Toyota têm uma pegada de releitura com criatividade e usando ingredientes que você também encontra no Brasil.
O canal ficou famoso por reproduzir as famosa chicken wings usando a couve flor, mas os outros pratos não ficam pra trás: lasanhas, tacos, massas com os mais variados molhos, sanduíches e muita comida pra compartilhar com os amigos.

Agora que você já sabe como, comece a se inspirar pelo universo gastronômico e conheça mais gente que compartilha desse amor por cozinhar.

Tem alguma outra fonte de inspiração que está na rede? Conta pra gente nos comentários!
continuar lendo
Comentários 0

Contaminação o inimigo do sucesso

Contaminação  o inimigo do sucesso Hoje quando queremos produzir algo em nossa cozinha temos que ter um devido cuidado, seguir várias regras de prevenção. Uma contaminação pode colocar tudo a perder, a validade do produto ou até levar a óbito do consumidor final.
Contaminação deriva do latim contaminatío e diz respeito a acção e ao efeito de contaminar, transmissão de germes nocivos ou de doença infecciosa, infecção por contato.
É uma preocupação constante em todos os países do mundo. Muitos micro-organismos presentes em alguns alimentos provocam o aparecimento de intoxicações alimentares, não apresentam alterações em seu cheiro, sabor ou aspecto. São vírus, bactérias, protozoários, vermes , fungos e toxinas microbianas.
A contaminação dos alimentos ocorre através da forma inapropriada de preparação, armazenamento ou manipulação dos alimentos e no próprio ambiente onde são produzidos.
Os produtos no local que foram cultivados, de sua forma de armazenar, nas buscas em seleções em comércio, até ser integrados em sua cozinha para a formulação da receita é possível a existência de focos, o cuidado o tempo todo é com a saúde de seu cliente final. Cozinheiro é um profissional da saúde alimentar, existe uma responsabilidade nisso todo.

Tem vários tipos de contaminação e cada uma é especifica:
- Microbiológica - invisível a olho nu. Exemplo - a Salmonella
- Física - visível a olho nu. Exemplos: pedaços de esponja, cabelos, fosforo, etc
- Química - provocada por produtos químicos -Exemplos: pesticidas, excesso de desinfetante, etc

Em uma certa maneira de manuseio. para ajudar temos roupas adequadas, utensílios certos para evitar, a mais conhecida é a contaminação cruzada.
A contaminação cruzada é uma transferência de micróbios patogênicos de um alimento contaminado, normalmente cru para outro alimento, direta ou indiretamente...
O simples ato de tocar em um alimento e não fazer higienização de suas mãos, ou utensílios pode ocorrer a contaminação cruzada.
Podemos dizer que alimentos de qualidade são aqueles que existe todo um diferencial em cuidados do começo ao fim, construindo uma receita boa para qualquer paladar com toda estrutura de prevenções.

A melhor forma de prevenir é seguir regras básicas durante a manipulação, preparo e armazenamento:
- Prender sempre os cabelos e usar tocas
- Não usar bijuterias ( anel, aliança, brincos, etc...)
- Manter as unhas aparadas e sem esmaltes
- Usar sempre avental limpo sobre a roupa
- Não enxugar suor em toalhas usadas na cozinha
- Não experimentar a comida com as mãos ou dedos
- Não provar alimentos com talheres que irão ser devolvidos na panela
- Não falar sobre os alimentos, espirrar, tossir, fumar
- Nunca manipular com ferimentos expostos
- Lave bem as mãos antes de manipular, e a cada troca de tarefa.
- Lave bem o local antes de preparar as etapas da receita
- Verifique validade dos produtos e sua conservação
- Cuidado com a bucha que é utilizada para a higienização, utilize para uma função especifica e cuidado com sua validade
- Lave bem as frutas,legumes, e verduras em água corrente e deixe-as de molho com hipoclorito de sódio
- Não congele alimentos que já foram congelados
- Descongele alimentos sempre dentro da geladeira, deve estar em recipientes com tampas e bem lavados
- Evite usar ovos crus em receitas
- Certifique a procedência do material e produtos para iniciar sua receita

Para desinfetar os alimentos fazemos um preparado é feito de 1 litro de água , 1 colher de sopa de água sanitária, e em seguida fazemos uns procedimentos
- Desfolhar as verduras, e retirar partes estragadas
- Lavar as folhas , frutas e legumes um a um , em água potavel
- Desinfetar , imergindo durante 15 minutos no minimo
- Escorrer os residuos
- Cortar, picar, descascar, cozinhar de acordo com o planejado

Lembre -se que vinagre não desinfeta as hortaliças



continuar lendo
Comentários 1
Jamille R. P. Morais Lopes

Perfeito!!! Obrigada pelas dicas.


Falando de fornos

Falando de fornos Geralmente conseguimos fazer um trabalho maravilhoso em desenvolver uma receita, mas quando chegamos na parte final podem ocorrer erros, colocando tudo a perder. Esses erros geralmente estão relacionados a temperatura incorreta, ou passou do tempo, e outros.
O forno é como uma criança que você não pode deixar sozinho, porque pode te surpreender.
Cada receita é um determinado tempo para sua finalização e tem seu cuidado específico.
Hoje existem vários estilos de forno e cada um é específico para determinado tipo de produto, e ser um amante do forno é certeza que não ocorrerão erros em sua produção.
antigamente as massas eram assadas sobre pedras quentes, e essa evolução veio com o crescimento da industrialização do produto artesanal, cada vez mais o mercado exigia a profissionalização dos então artesãos.
A Panificação com a crescente procura ouve a necessidade de usar a tecnologia ao seu favor, foram criados vários tipos de forno pra atender melhor as suas necessidades e seu mercado, sempre visando melhorar a qualidade e o lucro.
O mercado mudou muito, onde aquilo feito antes em ritmo artesanal agora a alta quantidade de produção que o mercado exigi é o profissional industrial. Forno Profissional é muito diferenciado pela alta temperatura, tamanho, e pela quantidade na fabricação.
Em casa nosso forno chamado convencional chega na alta temperatura de 290º C a 300º C dependendo gás ou elétrico, muitos ainda colocam pedras para aumentar a temperatura que pelo meu conhecimento é pouco eficaz mas faz uma diferença .

Noções básicas , e como saber se está na temperatura :

- FORNO BAIXO - Lento ou brando = 160º C
Colocar um papel branco ( tipo sulfite ) dentro do forno aquecido por 5 minutos e ele não muda de cor.

- FORNO MÉDIO - Ou regular = 180º C
Quando o papel após 5 minutos ficar amarelo

- FORNO ALTO - Ou quente = 200º C
Quando o papel após 5 minutos ficar escuro

- FORNO FORTE - Ou bem quente = 250º C
Se o papel queimar

- FORNO MORTO - Ou arrefecido = Depois de apagado

Nunca esqueça de sempre colocar para assar após 10 minutos

Alguns fornos conhecidos, bastante utilizados:

FORNO A LENHA
Nesse forno a madeira em combustão exala vapores aromáticos que se impregnam no produto, em outras palavras, um produto defumado levemente.
Existe alta temperatura constante de 550º C . Assa rapidamente e a massa fica crocante por fora e macia por dentro . No entanto, é possível reproduzir ou até superar essa temperatura com equipamentos profissionais. "Ha fornos elétricos ou a gás que atingem temperaturas elevadas ". Mas o que importa é o que sai na fumaça, dando um toque diferente em seu gosto premiando o produto.
No Brasil, o que mais se usa é eucalipto de reflorestamento, enquanto na Itália o normal é aproveitar galhos de carvalho que caem das árvores.
Fazer produtos nesse forno é sentir o gosto do passado de antigas gerações, é um forno de muitas tradições e muito amado.

FORNO TURBO
Nesse forno existe uma circulação de ar interna que envolve todos os pães ou produtos a uma velocidade de até 1.460 rpm dentro da câmara
As ventoinhas dentro da câmara é o diferencial, e seu vapor. O forno é bom para qualquer produto de padaria e confeitaria, embora sua eficácia ainda encontra resistência por alguns profissionais.
É desenvolvido para uso em grande escala, e muito fácil de usar.
Um forno para ser bom de produção tem que ter o cozimento por igual.

FORNO DE LASTRO
Essa nomenclatura está relacionada ao efeito de aquecimento de baixo para cima, chamado efeito a lastro.
Este tipo de forno pode ser aquecido a gás, a óleo diesel, eletricidade, carvão ou lenha.
Cada um destes combustíveis tem suas vantagens e desvantagens. Um bom forno de lastro fixo tem que ter controle temperatura.
Na categoria de forno de Lastro fixo, podemos encontrar os seguintes modelos:
- O forno de alvenaria, que é construído totalmente em alvenaria, desde sua estrutura até a câmara de cozimento.
- O forno misto, com alvenaria externamente câmaras de cozimento em chapas de aço carbono.
- O forno metálico, construído inteiramente em chapas de aço carbono, o que facilita sua montagem e desmontagem.
Existem algumas coisas em comum entre estes modelos, os tipos de forno, que são seu sistema de aquecimento e material isolante.
Em todos os casos, com exceção dos elétricos, todos possuem uma fornada com duas "séries" de tubos que tem suas pontas aquecidas e transmitem, levam calor para dentro das câmaras de cozimento, através do fenômeno conhecido como irradiação.

Conhecimento de forno é algo que ajuda o profissional chegar a suas metas, são vários modelos específicos para determinada profissão. O que não podemos esquecer é de seguir suas regras de utilização.






continuar lendo
Comentários 0

Vegetarianos: O que comer no período de transição?

Vegetarianos: O que comer no período de transição? Não é que existam regras neste período, mas há uma preocupação maior com a introdução da nova dieta para que corpo e mente se adaptem bem e de forma saudável, garantindo, também, uma alimentação prazerosa e duradoura com boas opções de cardápio.

Mas, o que é a transição?
Quando optamos por seguir nestes estilos de vida e começamos a praticá-los, existe um período de adaptação do corpo e da mente, certo? Bem, curto ou longo, este período será diferente para cada indivíduo.

Na transição, costuma-se incluir pratos com características semelhantes aos de uma alimentação convencional. É daí que surgem as más interpretações de que vegetarianos e veganos querem “copiar” pratos “carnívoros”.

Isso acontece porque muitos de nós não deixa de comer carnes e derivados por não gostar do sabor, mas por diversos outros fatores morais e éticos. Assim, queremos continuar comendo bem. E porque não, comendo pratos similares mas sem ingredientes de original animal?

Pois bem, mais um ponto que divide opiniões! E na minha, a transição deve sim incluir pratos específicos que podem ou não continuar presentes na dieta de cada um após a adaptação completa.

O que são, então, estes pratos de transição? Separei algumas dicas do que incluir e como prepará-los. Vamos lá!

Fuga do convencional, texturas e temperos

Para não cair no combo massa + queijos em uma dieta ovolactovegetariana ou nas massas + frituras em uma dieta vegetariana estrita, é importante excluir a ideia de que para ser vegetariano você só precisar retirar a carne dos pratos.

Pelo contrário, como já explicamos em outros artigos, é preciso criar um prato inteligente, ou seja, pensar para compo-los de maneira funcional.

Para grelhar, fritar ou selar e assar
Use em lanches, PF’s e refeições do dia a dia:

Abobrinha italiana, Berinjela, Cogumelo Paris, Cogumelo Shitake, Bife de soja, Seitan, Hambúrgueres vegetais.

Para fazer molhos vermelhos
Use para refogados para recheios e molhos vermelhos ou brancos de massas:

Vegetais picados em cubos sem sementes, Cogumelos picados ou triturados, proteína texturizada de soja (PTS).

Este alimentos, quando combinados com os temperos certos, vão garantir textura e sabor similares ao que costumávamos comer.

Para temperar:
Nos temperos, vinagre e limão entram para marinar junto com alho, cebola ralada, temperos secos e ervas, mas para finalizar no preparo é você quem vai refinar e acertar o ponto de sabor ideal.

Alho, Cebola, Shoyo, Vinagre Balsâmico, Óleo de gergelim, Cominho, Páprica picante, Fumaça líquida, Ervas e ervas defumadas, Sal grosso, Curry, Mix de pimentas como a pimenta síria.

Para fazer leites e queijos vegetais
Cada leite e cada queijo vegetal terá um preparo diferente de acordo com a base escolhida. Na transição, os preparos que mais se assemelham aos convencionais são a base de: soja, amêndoas e amendoins, tubérculos como a mandioquinha salsa e o inhame. Acompanhe as receitas Koop para ter acesso aos preparos detalhados.

Lembre-se: Estes combos de ingredientes + temperos devem ser combinados. São sugestões que você pode testar e descobrir do que gosta mais.

Vinculei a este artigo uma receita de esfiha de PTS ideal para períodos de transição. aproveite!

E como saber que o período de transição acabou?
A adaptação se dá quando você deixa de buscar os pratos de transição para suprir a necessidade de comer carne e passa a prepará-los simplesmente por gostar do sabor que eles têm. A necessidade de substituição dá lugar a curiosidade e ao interesse pelos novos sabores e opções que a cozinha vegetariana oferece
continuar lendo
Comentários 0

Leite, vilão ou não?

Leite, vilão ou não? Pessoal, hoje eu estou aqui pra desmistificar algumas coisas sobre o leite. Desde que eu comecei a fazer o mestrado do leite eu virei defensora nata do nosso branquinho, existem algumas perguntas mais frequentes que me fazem e eu vou tentar responder elas aqui no post.
? Eu queria deixar esclarecido aqui que: Eu não vou conseguir responder TUDO em um único post, por isso eu vou abordar as coisas mais importantes e as polêmicas mais absurdas que envolvem o leite;
? Este post está sendo feito com uma base simples: Leitura de artigos e um estudo, digamos que constante, sobre nosso branquinho. Porém como são MUITOS se alguém tiver interesse em ter a fonte é só me falar que eu mando;

Então vamos colocar a lenha na fogueira (porque eu sei que o negócio vai ficar feio!).

1. A coisa mais importante, que eu sempre falo em meus posts, quantidades, nada em exagero faz bem a saúde. 200ml de leite por dia é diferente de 1000ml por dia, com isso em mente vamos em frente.
2. Gente, tirem da cabeça de vocês que o leite UHT é um leite antinutricional. Pra começar não existe leite antinutricional. 98% das gorduras existentes no leite são benéficas a saúde, então tirem da cabeça que pra dieta ser perfeita o leite tem que ser desnatado, não, isso já é um tabu e precisa ser quebrado, não deve se tornar uma regra. (Cada um com sua individualidade).
3. Já ouvi por aí que os M.O. (Microorganismos) não são eliminados por completo durante o processo UHT. Gente, são sim! Todos os M.O. que podem fazer mal a saúde são eliminados durante o processo, podem ficar bem tranquilos. "A Giovana, mas eu já abri a caixa do leite e tinha uma 'gelatina' no fundo da caixa, o que me diz sobre isso em?". Isso são os psicrotróficos, normalmente são resultantes de uma e higienização errada durante a ordenha da vaca, SÓ! Não fazem mal a saúde é uma característica que atrapalha na área sensorial do leite, não tome quando isso acontecer, mas não significa que isso acontece sempre e também não façam textão no Facebook detonando o leite por conta disso. Tirem isso da cabeça.
4. EXISTEM CONSERVANTES/ADITIVOS/FORMOL NO LEITE. Gente isso é papo de pessoa desinformada. Não estou dizendo que não existem indústrias anti-éticas, mas não é regra. Nossa querida Polly (que fica aqui em Londrina) e é da Cativa, é muito ética em seu trabalho com a manipulação do leite. Seguem a legislação vigente (sugiro que a leiam antes de sair falando por aí). A única coisa que a legislação permite é um ESTABILIZADOR que normalmente é um fosfato a única coisa que ele faz é estabilizar as proteínas do leite (Caseína, prazer), impedindo que elas sofram coagulação.
5. Me perguntam qual é o melhor leite para tomar? UHT ou saquinho. O de saquinho, porém a durabilidade dele é bem menor, mas, você não vai morrer se tomar o de caixinha, vai por mim.
6. Com exceção das pessoas que possuem alguma patologia como Alergia ao leite e intolerância a lactose, NÃO existe nenhum estudo que comprove a ligação direta do leite em problemas com a obesidade, diabetes e etc... Muito pelo contrário então, voltamos ao ponto inicial, se for um consumo consciente, seja feliz e não se prive de tomar essa delícia branquinha.
7. "O homem é o único mamífero que toma leite depois que chega a fase adulta". A gente que argumento mais batido vai! ÓBVIO que é o único ele tem capacidade pra arrebanhar, ordenhar, manipular, envasar e tomar o leite. Você dá leite pro seu cachorro? Ele toma não toma? Sabe porque? PORQUE É GOSTOSO! Se ele tivesse a mesma capacidade que nós temos de ordenha ele também faria! Ok?
8. "Eu tirei o leite da minha dieta, emagreci e depois que voltei a tomar me senti inchado, óbvio que ele faz mal!". Não, não é óbvio. O que é óbvio pra mim é o seguinte, você tirou o leite, emagreceu, mas tenho certeza absoluta que mudou outros hábitos também, então não foi o fato isolado do leite que desencadeou seu emagrecimento. Outra coisa óbvia é: CLARO que você vai inchar, passou meses sem tomar leite, seu organismo diminuiu a produção de lactase (enzima que quebra a lactose) quando você ingerir de novo o leite, vai ter gases mesmo, voltou a ingerir lactose do nada, é um corpo estranho.
9. INDIVIDUALIDADE: sobre o último item, se você, não se sente bem tomando leite, procure um médico para entender e saber se existe alguma patologia relacionada e se não houver, procure uma nutricionista para entender o porquê. Se você passa mal, não consegue tomar, não gosta... Uma boa profissional saberá lidar com isso.

? Pessoal, isso era tudo o que eu tinha a dizer, sei que é um texto extenso e acreditem em mim, eu ainda não falei tudo o que precisava falar. Se tiverem alguma dúvida, me chamem inbox, me mandem e-mail ou passem na clínica para batermos um papo.

?Última coisa, parem de acreditar em blogs, médicos que não são especialistas na área, procurem um profissional adequado pra falar de alimentos (NUTRICIONISTA TA!) continuar lendo
Comentários 1
Jamille R. P. Morais Lopes

👏👏👏👏👏👏👏👏 eu não gosto, mas minha filha de 6 anos toma um copo de leite com café todos os dias!!!


Nove receitas fáceis para quem ama ovos

Nove receitas fáceis para quem ama ovos Quem é que não gosta de comer ovos, ainda mais se for utilizado de maneira bem criativa... porém as vezes é apenas o que temos na geladeira, então ai vai um combo de 9 receitas fáceis para se fazer com ovos que você vai adorar.

Fonte de proteína e com um alto valor biológico, o ovo está presente em todos os tipos de cozinha. Preparar um ovo, seja cozido ou frito, não requer prática e tampouco conhecimentos gastronômicos. As possibilidades do alimento, porém, vão muito além da cozinha.

O colesterol é necessário para o funcionamento adequado do organismo. Grande parte do colesterol que o corpo precisa é produzido pelo fígado, que regula essa produção em função das necessidades de cada indivíduo

Além de nutrientes, o ovo tem substâncias carotenóides, como a luteína e a zeaxantina, que ajudam a prevenir a degeneração ocular, a principal causa de cegueira nos idosos. Outro nutriente de alto valor que está presente na gema de ovo é a colina. Ele é importante no desenvolvimento cerebral do feto e da criança e, também, para a memória. A diferença de cores da casca do ovo (branco e vermelho) depende da raça das galinhas, mas os dois tipos são nutricionalmente equivalentes

As cores e tamanhos diferentes (pequeno, médio, grande, extra e jumbo) são usados para classificar os ovos quando da sua comercialização, interferindo apenas no preço do produto

A clara representa em torno de 50% do peso total do ovo. Ela é rica em água e sua principal proteína é a ovoalbumina. A gema corresponde a cerca de 30% do total e a casca a 12% do conteúdo do ovo. O ovo pode ser o prato principal substituindo outros alimentos que são fontes de proteínas (carnes, peixes, frango e leite)

A recomendação é utilizar os ovos à temperatura ambiente (não gelados) e com as cascas íntegras (sem rachaduras) para então colocá-los na água para cozinhar; isso evitará rachaduras ao longo do preparo O uso de ácido (suco de limão ou vinagre) na água de cocção ajuda na coagulação das proteínas da clara, mas não evita a rachadura da casca do ovo


1. Ovo nuvem ou cloud eggs
ver receita

2. Suflê de ovos com queijo
ver receita

3. Ovos mexidos perfeitos com bacon
ver receita

4. Ovo poché fácil
ver receita

5. Muffins de ovos
ver receita

6. Ovo no pimentão
ver receita

7. Ovos no barquinho de batata assada
ver receita

8. Sanduíche Croque madame
ver receita

9. Ovos em aro de cebola
ver receita

#COMPARTILHE
Veja mais receitas que contém ovos no let's cook continuar lendo
Comentários 2
Bruno Rafael
23Nov2017

cara, deu até agua na boca :p


5 dicas para compor pratos vegetarianos

5 dicas para compor pratos vegetarianos Seja na manutenção ou na transição de uma dieta convencional para uma dieta restrita de certos alimentos, seu corpo pode sentir necessidade de suprir alguns dos nutrientes e vitaminas que antes eram ingeridos. Por isso, não podemos deixar faltar nada do que ele precisa. Pelo contrário, entramos com uma alimentação ainda mais potente, rica e balanceada.

Também se fala muito sobre “substituir” a carne, mas será que ela é tão importante assim? Bem, que alguns de seus nutrientes são importantes, é fato! Logo, você não precisa substituir a carne, mas ter certeza de que estes nutrientes essenciais estarão presentes em sua alimentação (Isso vale pra qualquer um, tá?).

Dito isso, no que devemos pensar pra compor um prato vegetariano saudável e saboroso?

1. Vá para cozinha!

É difícil manter um estilo de vida legal, saudável e gostoso se você só come fora de casa e não se permite conhecer temperos, sabores, combinações e possibilidades que a cozinha oferece.

Na cozinha é possível testar e descobrir o que agrada mais seu paladar e o que você não precisa insistir pra comer, pois, passa a conhecer outros pratos e sabores que funcionam pra você. Agora, se você realmente não consegue e não tem tempo algum pra ir pra cozinha, fique atento à 3ª dica, ela vai te ajudar a montar um prato completo mesmo fora de casa.

2. Descubra as leguminosas

Apesar do nome, as leguminosas são grãos que nascem de vagens ricas em tecidos fibrosos. O feijão, por exemplo, é a leguminosa mais consumida no Brasil! E olha que o que consumimos no dia a dia são três ou quatro tipos do grão, que tem diversas outras variedades.

Na dieta vegetariana, as leguminosas são fundamentais para alcançar os níveis necessários de ferro e proteína diários. Por isso, abuse dessas variedades:
Feijões de todos os tipos (do branco ao vermelho); grão de bico; ervilha; lentilha (Que tal experimentar a rosa?); soja; tremoço; amendoim, etc.

Você encontra as leguminosas de forma geral como grão ou farinha, em mercados, feiras e lojas de produtos naturais. Também as encontramos enlatadas, mas geralmente vêm acompanhadas de bastante sódio e são processadas de forma a perder alguns de seus nutrientes.

Prefira comprá-las em sua forma natural e capriche na hidratação dos grãos. Para as leguminosas que serão cozidas, o recomendado por médicos e especialistas é deixar de molho por de 8h a 12h antes do cozimento.

3. Inclua estes três grupos no seu prato!

Esqueça a carne, pense que um prato balanceado e completo deve ser composto com o intuito de suprir as vitaminas que seu corpo precisa e isso será possível incluindo estes três grupos: 1º verduras e legumes; 2º leguminosas (família dos feijões); 3º cereais.

Ao montar um prato, você deve dividi-lo em 4 partes:

Duas dessas partes devem ser destinadas ao 1º grupo (verduras, hortaliças e vegetais). Aqui, você pode variar alimentos como: couve, espinafre, repolho, agrião, almeirão, abobrinha, berinjela, beterraba, cenoura, chuchu e muito mais.

Quanto às outras duas partes do prato, utilize uma delas para incluir cereais: arroz, milho, batata, produtos com aveia, trigo, amaranto, quinoa e outros. E a terceira e mais importante parte: Leguminosas.

4. Tire os vegetais da rotina

É comum que a gente sempre encontre os legumes preparados da mesma forma em restaurantes self service ou até quando fazemos em casa: alface apenas como salada; beterraba cozida; abobrinha ou chuchu refogados com cheiro verde, etc. Se nós já gostamos de comer assim, imagina se começarmos a explorar o potencial de transformação e sabor dos vegetais e hortaliças do nosso dia a dia?

Na receita relacionada à este artigo, temos algumas sugestões bem legais pra você começar a provar, ela foi desenvolvida por mim lá na cozinha do Ateliê Vegano, Comida de Gente.

5. Inspire-se por livros e receitas

Eu nunca gostei de seguir receitas à risca, queria apenas criar, inventar e testar. E isso é ótimo! Mas existem profissionais, livros e plataformas como a KoopCook que nos inspiram e tornam nossa rotina mais prática e criativa.

Hoje eu tenho em casa livros de receitas com fotos lindas que me motivam a cozinhar mais, reproduzir, usar medidas e compartilhar essas receitas com outras pessoas que podem ser inspiradas por mim, também. Pode ter certeza que um bom prato a gente começa comendo pelos olhos.

Tem uma sugestão de livros e chefs veganos? Me conta nos comentários! Vou preparar um apanhado de referências e materiais pra compartilharmos esta inspiração pelo cozinhar e partilhar.

Um abraço! continuar lendo
Comentários 1
Bruno Rafael
22Nov2017

Ótimas ideias :)


Conhecendo a melhor fermentação

Conhecendo a  melhor fermentação Procurando melhorar o meu produto resolvi mexer na minha massa. Comecei a investigar o que seriam os pontos positivo e negativo.
Então lembrei da minha aula de panificação, com isso conclui minhas dúvidas e decidi trocar minha fermentação e mudar meu estilo de trabalho. Quero resgatar cada vez mais processos e suas origens dos produtos desejados, valorizando tudo aquilo que está faltando no mercado.
Lembrando da história do pão que é quase tão antiga quanto da nossa civilização. Afinal foi nos primórdios da agricultura, com o início do cultivo de grãos e cereais como o trigo, os homens primitivos deixaram a vida de nômade para começar a se organizar em torno de sociedades mais complexas.
Para entender como melhorar meu produto tive que entender de cada fermento e seus processos.
exemplos:

- Fermentação Física, vapor de água, clara de ovo batido em neve

- Fermentação Química, não é uma levedura natural ela é uma mistura de bicarbonato de sódio com ácido não tóxico e é utilizado para dar textura esponjosa à massa. É mais indicado para bolos, mas existem receitas de pão rápidos que utilizam esse fermento. Pela influência do calor ou umidade produz desprendimento gasoso capaz de expandir a massa, aumentando volume e porosidade.

- Fermentação Biológicos são fermentos industrializados, levedura Saccharomyces cerevisiae em diferentes formas como tabletes, e em grãos ou pó.

BIOLÓGICO FRESCO é uma pasta firme que é composta somente de leveduras condensadas, não tem nenhum emulsificante, é considerado saudável por ser fresco, mas precisa de geladeira e seu tempo de armazenamento é menor 15 dias. Deve ser misturado diretamente na farinha.
BIOLÓGICO SECO é na forma de pó granulado e é obtido através da secagem do fermento. Além das leveduras também contém um emulsificante ( monoestearato de sorbitana). Por ser seco não precisa de geladeira e dura 6 meses, deve ser misturado com a mesma quantidade de açúcar e com água morna. Reserve por 10 ou 15 minutos antes de usar.
Os fermentos instantâneo seco possui a mesma característica, só que não precisa dissolvê-lo na água morna, pode usar direto na farinha e dura 2 anos embalada.

-Fermentação Natural, era utilizado antes da produção industrial e voltou a moda nos últimos anos pela sua qualidade. É a mesma levedura dos fermentos industrializados, mas em estado selvagem combinado com lactobacilos. Você não encontra no supermercado como outros porque ele precisa ser cultivado por dias através de uma mistura de água e farinha.
Um pão com esse fermento leva mais tempo para ser feito, dá aspecto rústico, uma casca mais crocante, um miolo cheio de alvéolos irregulares e um sabor levemente azedo e incomparável
.
Essa foi minha escolha e caso você esteja querendo aventurar nesse mundo, aqui umas vantagens do fermento natural;
Seu sabor é incomparável;
Possui um índice glicêmico mais baixo do que outros pães;
Sua digestão é mais fácil , até mesmo para aqueles que são sensíveis ao glúten, devido a sua fermentação mais lenta;
Pode ser armazenado por mais tempo, pois o ácido acético que inibe o crescimento de bolor é produzido na fabricação do fermento;
Aumenta o teor de bactérias benéficas no intestino;
Possui uma série de nutrientes devido a complexidade de sua composição. continuar lendo
Comentários 1

OK formulario enviado com sucesso!
OK receita favoritada!